<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://px.ads.linkedin.com/collect/?pid=2414825&amp;fmt=gif">

A transformação digital da nossa sociedade já é possível de ser percebida em todas as áreas. Diante da pandemia, a sua velocidade tomou novas proporções e também começou a se tornar uma realidade comum para pessoas pertencentes a gerações que, até então, eram conhecidas por sua pouca familiaridade com as novas tecnologias. 

Vivemos em um país no qual há mais smartphones do que pessoas, e o aparelho já se tornou um item de necessidade básica para quem quer e precisa estar conectado para conseguir acesso a serviços essenciais, que já se tornaram digitais, como é o caso do auxílio emergencial dado pelo o governo e cujo processo de cadastramento é 100% online. Esse processo de evolução “forçado” já está refletindo em diversos setores e, muitos acreditam, virá como uma avalanche por conectividade após a confirmação de uma vacina que garanta uma imunização efetiva contra a Covid-19.

Já dissemos isso várias vezes: o novo normal será altamente conectado. No post de hoje, queremos mostrar o que isso significará para o setor varejista, mais especificamente para os shoppings. 

Problemas com conectividade já estavam incomodando os shoppers  

Em um estudo feito pela firma independente de network benchmarking, Global Wireless Solution no Reino Unido, apontou que 87% dos shoppers levaram e utilizaram os seus smartphones na sua última ida ao shopping, o que reforça a ideia de que eles buscam se manterem conectados também nas suas idas às compras. Mas como eles se conectam quando estão nas dependências do shopping? Entender o seu comportamento pode ser decisivo para encontrar onde é preciso garantir a conectividade. 

1 - Praças de alimentação 

O primeiro lugar pode parecer meio óbvio, mas a praça de alimentação é um dos locais que os shoppers mais usam o aparelho. Seja para tirar fotos dos pratos e postar nas redes sociais, utilizar apps para conseguir descontos, aproveitar o momento sentado para se atualizar no que está acontecendo na rede ou checar as mensagens e colocar os assuntos em dia. Os principais problemas de sinal desta área estão muito relacionados à densidade. Quanto mais pessoas no mesmo local, mais difícil se torna de ter uma conexão de qualidade. Você pode até encontrar as barrinhas de sinal, mas ela não conseguirá lhe fornecer o que você precisa. Outro ponto importante é que os shoppings também se beneficiam dos aplicativos de entrega e os entregadores também precisam de conectividade para buscar os pedidos e levar para as pessoas. 

2 - Lojas 

Aqui, o ponto é muito mais relacionado ao comportamento de comparar valores, checar informações ou até mesmo tirar fotos para pedir opiniões de amigos ou parentes, inclusive nos provadores. Muitos clientes reclamam que não conseguem sinal e ao sair para “checar uma coisa rapidinho”, pode ser o fator decisivo para que uma venda não aconteça. Neste caso, o problema muitas vezes está relacionado com os obstáculos físicos que impedem que o sinal chegue com qualidade em todos os cantos da loja e, como prática, os provadores sempre ficam em locais mais afastados.

3 - Estacionamentos 

Muitos carros já estão saindo de fábrica com vários diferenciais tecnológicos, muitos deles relacionados a conectividade com smartphones. Para muitos especialistas, o carro do futuro será um smartphone sobre 4 rodas. E não se engane, o futuro já está batendo à porta, tanto que gigantes como Apple, Samsung, LG e Google, para citar algumas, já estão na corrida para ver quem sai na frente. Pode ser que em breve as montadoras tenham novos competidores, já que o carro também passou a ser considerado uma tecnologia; já pensou em um ICar? 

Outro ponto importante, e já atual, é que muitas pessoas utilizam dos serviços de transporte por aplicativo oferecidos por empresas como Uber e Cabify para se locomoverem pela cidade. Como pedir ou acompanhar a chegada do seu carro se o seu celular não conecta? 

4 - Entorno do shopping 

A boa conectividade não se limita ao interior do shopping, afinal, muitas coisas acontecem no seu entorno, como pontos de encontro e solicitação de carros por aplicativo, por exemplo. Shoppings sempre passam a sensação de segurança e muitas pessoas preferem estar próximas quando usam os seus celulares. Por que não oferecer para eles um bom sinal e aumentar as chances para que esses transeuntes se tornem shoppers? 

Não espere, prepare-se para o novo normal

Já mostramos aqui o futuro dos shoppings através de um dia na vida da Júlia. Muitas inovações estão por vir, mas muitas já estão presentes no dia de hoje. Estar preparado de antemão para o retorno dos clientes ao shopping será fundamental para se mostrar relevante. Contar com um parceiro com conhecimento para construir a infraestrutura para conectar o seu público é a diferença entre o sucesso e ser engolido pelo amanhã. 

Que tal conhecer mais a QMC? Temos um site novo em folha para lhe explicar tudo o que você precisa saber, além disso, você também pode receber os nossos conteúdos exclusivos direto no seu e-mail, basta assinar a nossa newsletter. 

Anna Carolina Peonório

Anna Carolina Peonório

Anna possui mais de 10 anos de experiência trabalhando em multinacionais de tecnologia. Está há 7 anos atuando na área de Desenvolvimento de Novos Negócios e Negociações de Real Estate, seu conhecimento sobre estas áreas lhe possibilita endereçar a melhor solução aos clientes na hora de fechar projetos de parceria. Em seu portfólio constam negociações com importantes players do segmento de Shoppings.

qmc_CTA_fim_Blog_Tablet_ebook
GOSTOU DO CONTEÚDO? A GENTE ESPERA QUE SIM! :)

Aproveita então e dá uma olhada nesse E-book sobre Transformação Digital na gestão hoteleira: falamos sobre reputação online, sistemas de reserva, experiência do consumidor, e o futuro da revolução digital nos hotéis.

BAIXE AGORA

DEIXE UM COMENTÁRIO

Assine nossa newsletter!

New call-to-action