<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://px.ads.linkedin.com/collect/?pid=2414825&amp;fmt=gif">

A indústria global de eventos foi avaliada em 2018 em mais de 1.1 bilhão de dólares e era esperado, até então, que crescesse para 2.3 bilhões em 2026. Mas, depois da pandemia, essas projeções claramente mudaram: o setor eventos foi um dos mais afetados com o Covid-19, afinal, a sua própria definição está associada à concentração de muitas pessoas em um mesmo lugar (gerando maior risco para a proliferação da doença). 

Para conseguir entender como será o futuro do setor, se faz necessário entender o cenário atual, quais são os impactos reais da crise do coronavírus, e a partir daí, idealizar como será o futuro deste segmento.

Como está o setor? 

Assim como o mercado de turismo, os espaços de eventos viveram e ainda vivem um duro golpe, e esse mercado, cujas projeções estimavam um crescimento em 80% neste ano aqui no Brasil, está ameaçado. 

Ainda que as tecnologias atuais permitam que várias coisas sejam feitas remotamente, muitos de nós ainda acreditamos que o encontro presencial, o frente a frente, é fundamental. Neste exato momento muitos organizadores, donos de espaços de eventos, patrocinadores e  visitantes, estão reavaliando cada evento, não apenas pelo possível risco à saúde, mas também um potencial risco financeiro para nós e nossas empresas.

Em uma pesquisa realizada pela PCMA, uma das maiores redes mundiais de eventos de negócios estratégicos, foi mostrado que 87% dos profissionais da área cancelaram seus eventos que estavam programados, sendo que 66% dos adiados tem como motivo a pandemia. Essa mesma pesquisa mostra que 7 em cada 10 empresas mudaram os seus eventos para uma plataforma virtual, e 25% dos participantes tem a sensação que os eventos virtuais canibalizam os presenciais. 


Singapura está sendo um exemplo interessante de virtualização da área de forma totalmente disruptiva.


E como será o amanhã?

Certamente o setor irá se recuperar, mas não será mais o mesmo. 

A maioria das pessoas só participará presencialmente de eventos que considerem realmente importantes, com valor e que proporcionem uma verdadeira experiência diferenciada. Muitos destes eventos também incorporarão o virtual e ampliarão o seu alcance para que qualquer pessoa consiga participar de qualquer lugar do mundo. 

Contratos serão muito mais elaborados e os termos de cancelamentos muito bem trabalhados. Donos de espaços e fornecedores farão o máximo para se protegerem da possibilidade de perderem dinheiro, enquanto agências e produtores de eventos tentarão ter certeza que poderão evitar pagar por um evento que pode nunca acontecer. 

Algumas tecnologias que estão mudando o setor

  • Streaming ao vivo


Essa foi a primeira resposta do setor para a pandemia. 

O streaming possui uma série de benefícios:

  • A possibilidade de expandir para pessoas que não poderiam participar de forma presencial
  • Expansão do eventos para pessoas de todo o mundo
  • Maior presença virtual e “buzz”


Caso o evento seja de grande impacto, mais pessoas irão considerar a participação presencial, o que acaba se tornando um grande promotor para o negócio.

  • Inteligência artificial 

De acordo com o estudo realizados pela Markets e Marktes, o mercado de inteligência artificial irá crescer para uma indústria de 190 bilhões de dólares até 2025, mostrando que diversos negócios em todo o planeta estão destinados a integrarem a IA aos seus projetos de uma maneira ou de outra nos próximos 5 anos. Isso irá acontecer principalmente pela capacidade de customização de experiências que a tecnologia oferece.

 

Em geral, a IA (inteligência artificial) ajuda a associar certos visitantes com a sua área de trabalho e interesses que, por sua vez, garantem que os melhores e mais interessantes conteúdos cheguem às pessoas certas assim que elas precisarem. Outro ponto é a de potencializar a experiência de uma forma mais individualizada, ao analisar dados do usuário e compreender padrões de comportamento.  

Ela poderá aparecer de diversas formas:

 Chatbots nos eventos

 Reconhecimento facial durante cadastramento e registro em eventos

 Tradução e interpretação para outras línguas durante painéis

Personalização de newsletter com conteúdos direcionados sob medida para os interesses de cada pessoa. 

  • Comunicação personalizada

O seu visitante poderá receber notificações de push, emails e textos de forma 100% personalizada, recomendando as melhores experiências no evento (como os painéis que mais combinam com ele) a partir do seu perfil. Outra maneira é a criação do “planeje à sua maneira”, criando a possibilidade da pessoa de antemão definir a maneira que irá aproveitar o evento. 

  • Realidade virtual e realidade aumentada (VR e AR) 

Com uma leitura rápida de um QR code, visitantes podem entrar no mundo da realidade aumentada. Com projeções em paredes ou completas experiências 360º, é possível encantar o público de diversas maneiras e, aliada à inteligência artificial, de uma forma individualizada. 

Um evento que já faz uso dessas tecnologias há alguns anos é a E3, uma das maiores feiras do setor de entretenimento eletrônico do mundo. 

Já a realidade virtual pode oferecer para pessoas que estão participando de forma remota, uma experiência muito mais imersiva e diferenciada. 

Captura de dados

Aqui está a verdadeira mina de diamantes para o setor. Coletando dados em tempo real, você dá a oportunidade para seu público dizer o que está funcionando e o que não está funcionando no seu evento. A partir disso é possível interpretar esses dados para oferecer experiências muito melhores, como palestrantes, tecnologias de apoio e conteúdo. E as possibilidades não param por aí. 

Aliado à outras tecnologias, é possível capturar ainda mais dados, por exemplo:

Por meio da realidade virtual e aumentada é possível monitorar o movimento dos olhos das pessoas e criar um mapa de calor do que mais lhes chamou atenção, isso também é possível de se alcançar por meio do reconhecimento facial. Aliado às câmeras, a inteligência artificial pode compreender áreas, stands, painéis, etc, que tiveram não apenas maior público, mas também o tempo que passaram fazendo cada coisa. 

Entender esses dados baseados em comportamentos pode ajudar a identificar onde investir em futuros eventos ou até mesmo para se adaptar e ajustar com o próprio evento em ação.

Logística

Os dados acima mencionados, também podem ajudar os eventos na sua logística, ao entender padrões de movimentação e concentração do público ao longo da área disponível, é possível criar uma distribuição de stands e também dos tipos de uma forma muito mais eficiente. Tudo em nome da melhor experiência para o visitante. 

Ética também será uma questão séria

Como a coleta de dados será uma constante não apenas no setor, mas também no mundo todo, o uso dos mesmos de forma ética também será uma exigência do público. 84% dos consumidores já afirmam que deixariam de fazer negócios com empresas se não estiverem sentindo que podem confiar na maneira que utilizarão os dados fornecidos, por isso seguir a LGPD se torna fundamental e obrigatório.

Conectividade mais uma vez como a demanda do futuro

Como dissemos, com certeza o setor irá se recuperar, mas terá que passar por transformações profundas para se manter relevante para o público, que também está se transformando rapidamente diante da atual pandemia. Independente disso, mais uma vez a conectividade será fundamental para que isso seja atingido. Ter uma estrutura que possa fornecer a conectividade para todas essas tecnologias, coleta e análise de dados será obrigatório para qualquer espaço de eventos. 

Agora talvez seja o melhor momento para buscar as melhorias necessárias para o amanhã, como uma infraestrutura que suporte toda essa demanda por dados. Felizmente há empresas como a QMC: especialista no assunto e pronta para oferecer uma solução customizada e já dimensionada para evoluir, já que é compatível para receber o 5G.

Gostou desse conteúdo? Aproveite e conheça o novo site da QMC. Lá você terá a oportunidade de nos conhecer melhor, juntamente com todas as nossas soluções. Entenda porque nós somos a melhor escolha quando o assunto é conectividade. 

Cesar Souza

Cesar Souza

Cesar possui quase 10 anos de experiência em Relationship Marketing, e em seu dia a dia construiu relacionamentos com grandes empresas tais como Mondelez, Outback, Cinemark, Bauducco, Lactalis e Google. Nos últimos anos, vem atuando fortemente no mercado de telecom e Shopping Centers com fechamento de parcerias de investimento para cobertura indoor de celular apoiando assim os clientes a alcançar suas metas.

qmc_CTA_fim_Blog_Tablet_ebook
GOSTOU DO CONTEÚDO? A GENTE ESPERA QUE SIM! :)

Aproveita então e dá uma olhada nesse E-book sobre Transformação Digital na gestão hoteleira: falamos sobre reputação online, sistemas de reserva, experiência do consumidor, e o futuro da revolução digital nos hotéis.

BAIXE AGORA

DEIXE UM COMENTÁRIO

Assine nossa newsletter!

New call-to-action