Vivo assina com QMC para oferta de sinal indoor no Complexo 21, em Brasília

São Paulo, outubro de 2015 - Operadora encara investimento como forma de desafogar o tráfego nas macrocélulas da região. Empresa de infraestrutura também já negocia com Claro e TIM.

A Vivo já entrega, desde o começo de setembro, cobertura indoor no complexo Brasil 21, localizado no centro de Brasília. A operadora fechou contrato com a QMC Telecom, empresa latino-americana de infraestrutura wireless build-to-suit, e que administra a infraestrutura no empreendimento. A rede indoor usa tecnologia DAS, e tem como fornecedor a RFS – Radio Frequency Systems.

O complexo BR21 tem 220 mil metros quadrados. É composto por três hotéis, três torres comerciais, um centro de convenções e um teatro, recebe diariamente um público de aproximadamente 10.000 pessoas, entre profissionais e visitantes. A rede montada pela QMC tem algumas centenas de antenas (foto). Outras operadoras também poderão aderir. “Estamos negociando também com TIM e Claro”, conta o presidente da QMC, André Machado.

A QMC Telecom investiu no sistema de antenas compartilhadas entre R$ 5 milhões e R$ 10 milhões. Toda a implementação e instalação da solução foi feita pela RFS, sob a gestão da QMC Telecom. “Esse é o maior DAS do Brasil feito por um Neutral Host até o momento. E estamos muito orgulhosos por sermos os pioneiros”, afirma o executivo.

Segundo o executivo, a QMC já começou, com a Vivo, a analisar o impacto do investimento indoor na redução da sobrecarga dos macrosites instalados na região. “Há uma redistribuição do tráfego, desafoga as principais estações, mas o estudo ainda está em andamento e deve ser concluído em seis meses”, diz.

Muito antes disso a QMC espera implementar o DAS em mais oito empreendimentos nos estados do Rio de Janeiro e em São Paulo. A empresa, que já cresceu 250% em faturamento entre 2014 e 2015, espera nova expansão de pelo menos 100% até 2016. “O crescimento do ano que vem é que ainda é uma incógnita, em função da crise. Mas estamos confiantes com os investimentos que fizemos no Brasil. Teremos mais de 10 empreendimentos e vamos chegar ao final deste ano administrando 900 torres”, afirma Machado. O contrato com a Vivo e com a venue, como são chamados os empreendimentos imobiliários, têm 20 anos de duração.

A expectativa da Vivo é equilibrar o tráfego local. “Com a utilização de soluções como essa, não só melhoramos muito a qualidade do sinal dentro do empreendimento, mas ajudamos também a desafogar o tráfego de toda a região vizinha”, explica Aldo Clementi, Diretor de implantação da Telefônica Vivo. “A maior parte do tráfego gerado hoje em dia, seja de voz ou de dados, é em ambientes indoor. Buscamos com esta iniciativa atacar o cerne do problema, aumentando de maneira significativa a capacidade de nossas redes”, finaliza Clementi.

Fonte: Telesíntese

Solicite agora mesmo o contato de um de nossos representantes