<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://px.ads.linkedin.com/collect/?pid=2414825&amp;fmt=gif">

Estamos vivendo em tempos complexos. Diante da pandemia da Covid-19, toda a infraestrutura de telecomunicações no mundo inteiro está sendo colocada em teste e estão, dentro da possibilidade, garantindo que serviços essenciais, e outros que, apesar de não fundamentais, garantem um maior conforto e qualidade de vida, continuem funcionando.  Se hoje temos uma infraestrutura confiável, isso se deu por conta do surgimento das Neutral Hosts. Entender a sua história ajuda a perceber como elas serão fundamentais para o sucesso do 5G no país, para o seu negócio e para a sociedade como um todo. Se você quer entender essa história e como você pode se beneficiar no presente e estar preparado para o futuro, basta continuar lendo. 

Meados dos anos 90 - O começo

Os EUA estavam vivendo um momento de grande quantidade de operadoras. Cada uma fazia a sua própria torre de transmissão de sinal, e muitas vezes elas eram construídas uma ao lado da outra. Isso ocorreu em um momento do mercado no qual a cobertura era o grande diferencial competitivo. Quem chegasse primeiro a uma região ou tivesse o melhor sinal, era a preferida daquela região - algo muito semelhante ao que acontecia aqui no Brasil. 

A grande quantidade de torres uma ao lado da outra se tornou um problema para as prefeituras, por conta da confusão arquitetônica e urbanística que isso gerava; e com o tempo, também para as próprias operadoras, porque depois que as outras operadoras chegavam à região, eram outros fatores que eram levados em consideração pelos clientes, como preço, tamanho do pacote contratado, qualidade do atendimento, etc.

Um outro ponto crucial para o surgimento das Neutral Hosts foi um certo “desperdício de recursos” que acontecia com a construção de uma torre para cada operadora, e o consequente pagamento de mais de um aluguel por pedaço de terra, por torre. Compartilhar a mesma infraestrutura em um local, distribuindo as eficiências financeiras geradas entre todos os participantes da cadeia se provou muito mais econômico e prático para todas. Mas essa não foi a única questão que as Neutral Hosts conseguiram solucionar. 

Uma nova solução gera novas questões

A solução para a questão seria a unificação das operadoras em uma única torre. Todas as operadoras teriam o seu espaço em uma mesma torre e ofereceriam o sinal para a região. A unificação resolveria o problema para todos, mas também fez surgir novas questões: como seria decidido quem era o “dono” da antena? Como se tratar o licenciamento da torre e dos equipamentos perante aos órgãos governamentais competentes para tal? Como seriam divididas as regiões, de forma a propiciar o investimento em todas as áreas do País? Afinal, há regiões mais interessantes comercialmente do que outras para se colocar uma torre. Foi nesse momento que surgiram as chamadas Neutral Hosts. Elas estavam preparadas para esse cenário de múltiplas operadoras em uma única torre, construindo-a com maior  robustez (para acomodar múltiplos interessados), velocidade, a um custo menor a todos e com uma engenharia focada na questão.

A construção de uma torre agrega vários cálculos de elementos ambientais, como a carga de vento, a composição do solo, os materiais utilizados, etc. Uma coisa é construir uma torre para uma única operadora, outra é para múltiplas. Adicione-se a isso a indefinição quanto ao momento da chegada de outros interessados àquela torre. Os riscos são maiores e demandam cálculos totalmente diferentes e mais precisos. 

Além das questões apresentadas acima, há uma outra central: o core business das operadoras não é este. Elas estavam se desdobrando em uma nova frente, lidando com prefeituras, proprietários de terrenos, órgãos públicos e fornecedores, podendo comprometer a sua principal função, que é a de oferecer serviços de telefonia móvel para o público final. 

É neste cenário que as Neutral Hosts ganham uma grande importância, a de especialistas em infraestruturas de telecomunicações, dando início a uma nova indústria com uma grande geração de valor.

O tempo passou, o mercado se desenvolveu, os celulares ficaram mais baratos e populares. Chegamos aos dias atuais e o problema de cobertura ganha uma nova dimensão.

Telefonia indoor: um desafio não mais das operadoras, mas sim do mercado como um todo

O desenvolvimento dos grandes centros urbanos e o aumento da densidade de prédios e construções trouxe uma nova limitação para a cobertura de telefonia móvel. O sinal agora enfrentava muito mais barreiras físicas para poder chegar aos aparelhos das pessoas em ambientes indoor. 

Não é muito difícil encontrar um lugar, dentro das nossas próprias casas, em que o sinal do celular é praticamente inexistente. Isso acontece porque o sinal vai ficando mais fraco a cada barreira física - paredes, portas, janelas, vidros, móveis, objetos etc. - que tem que ultrapassar, até simplesmente desaparecer. Essa nova limitação se torna ainda mais crítica quando se adiciona o fato de que entre 70% a 80% do uso dos smartphones acontece em ambientes indoor e que, a cada nova geração de sinal de rede móvel, a frequência utilizada tende a ser mais alta , aonde ainda existe espectro disponível - ao mesmo tempo em que essas novas gerações permitem se atingir taxas de velocidade mais altas, também diminui a distância que o sinal consegue percorrer a partir da sua fonte. 

Os hábitos da nossa sociedade mudaram. Hoje, todos nós queremos nos manter conectados e essa responsabilidade, aos olhos do consumidor, deixou de ser algo exclusivo das operadoras e passou a ser também dos estabelecimentos, como por exemplo, shoppings, hospitais, universidades e hotéis. Para não perderem mercado e manterem os clientes satisfeitos, foi preciso buscar uma solução junto às Neutral Hosts, já que elas, hoje, são especialistas quando o assunto é infraestrutura de telecomunicações. 

DAS: a melhor solução para todos

O DAS, um sistema de antenas distribuídas pelo ambiente indoor,  tem sido a principal solução encontrada pelo mercado de infraestrutura de telecomunicações, oferecendo soluções para múltiplas questões dos diferentes públicos:

  • Oferece o sinal para o usuário, juntamente com a sua satisfação

Essa era a principal questão a ser resolvida. O cliente poder se manter conectado dentro da sua relação costumeira com a operadora.

  • Melhora a rede externa

Com a necessidade de sinal indoor atendida por um sistema DAS dedicado para isso,  não mais é preciso recorrer ao sinal das antenas outdoor, sobrecarregando-o; assim, a rede toda fica muito mais leve, promovendo também uma melhor conexão para quem está na rua.

  • Resolve o mau sinal dentro de estabelecimentos de uma forma imperceptível para o usuário 

Como já falamos antes, a conectividade com o sinal de celular é um item buscado pelos clientes em todos os segmentos, sendo fator decisivo para muitas pessoas escolherem ou voltarem ao seu estabelecimento, seja ele um escritório, um hotel, ou mesmo um shopping center. Com o sistema DAS, caso tenha optado por uma Neutral Host como parceira, você terá um projeto pensado não apenas na cobertura do sinal no seu estabelecimento, mas também levando em consideração o seu design: antenas são camufladas para que sejam minimamente percebidas, a sala de equipamentos busca ser posicionada em áreas que não possuem apelo comercial ao estabelecimento, além de quem, toda a relação com as Operadoras é de responsabilidade da Neutral Host, bem como a operação do sistema.

A qualidade de um especialista agora ao alcance do seu negócio

Como esperamos ter demonstrado, as Neutral Hosts são grandes especialistas quando o assunto é infraestrutura de telecomunicações. Essa expertise, que até então só era oferecida para as operadoras por conta da evolução dos desafios do mercado, começou a ser oferecida também para as empresas, pois elas se tornaram um item vital em toda a cadeia de conectividade do usuário final. 

Além de oferecer o que há de melhor em tecnologia e engenharia de infraestrutura em telecomunicações para o seu negócio, as Neutral Hosts também estão pensando no futuro. O 5G já está próximo de se tornar uma realidade, e oferecer uma estrutura preparada para ele também é um desafio que precisa ser superado. 

Ainda há muito a ser explorado e explicado sobre o mercado de infraestrutura de telecomunicações, mas esse conteúdo é uma boa maneira de você compreender melhor este mundo.

Continue acompanhando o nosso blog para saber mais, ou assine a nossa newsletter para receber os conteúdos direto no seu e-mail.

Andre Machado

Andre Machado

Andre possui 25 anos de experiência no setor de Telecom no Brasil e na América Latina, atuando em posições de alta gestão nos últimos 12 anos - como Vice-Presidente e membro do Management Team da Huawei por um ano e também da Ericsson, por 4 anos, e como Presidente da QMC Telecom Brasil, há 7 anos.

qmc_CTA_fim_Blog_Tablet_ebook
GOSTOU DO CONTEÚDO? A GENTE ESPERA QUE SIM! :)

Aproveita então e dá uma olhada nesse E-book sobre Transformação Digital na gestão hoteleira: falamos sobre reputação online, sistemas de reserva, experiência do consumidor, e o futuro da revolução digital nos hotéis.

BAIXE AGORA

DEIXE UM COMENTÁRIO

Assine nossa newsletter!

New call-to-action